Ir para conteúdo
Anúncios

Raquel Dodge arquiva pedido de suspeição da Lava Jato contra Gilmar Mendes

Aloysio Nunes procurou o ministro

Tentou falar a favor de Paulo Vieira

Dodge diz ver ‘ousadia’ de Aloysio

Contato ‘não revelou amizade íntima’


Rachel Dodge disse que tentativa de Aloysio Nunes interferir no caso chama a atenção pela “ousadia”

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, determinou nesta 2ª feira (11.mar.2019) o arquivamento da representação da força-tarefa da Lava Jato pela suspeição do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), para relatar casos envolvendo o ex-diretor da Dersa e ex-operador do PSDB Paulo Vieira de Souza.

O pedido foi feito na última 4ª feira (6.mar). Na petição (íntegra), os procuradores afirmam que ligações telefônicas e mensagens demonstram que o ex-senador e ex-ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes buscou interferir, em fevereiro, em julgamento de habeas corpus em favor de Paulo Vieira de Souza em contato direto e pessoal com Gilmar Mendes.

Na decisão (íntegra), Raquel Dodge afirma que o contato de Aloysio chama a atenção “pela ousadia” na tentativa de interferir a favor de 1 réu. Para a procuradora-geral, o contato com o gabinete de Gilmar Mendes ou com o próprio ministro “não revelou amizade íntima entre ambos, nem influiu ou determinou o juízo valorativo do magistrado em relação ao réu ou à causa“.

“O fato narrado na representação, inclusive, de ele se valer de terceiros para pedir o telefone pessoal do ministro e conseguir acesso a ele evidencia que, concretamente, não há prova da amizade íntima entre Aloysio Nunes e o ministro Gilmar Mendes. O próprio relato que ele fez a seu advogado sobre como teria sido a conversa com o ministro, conforme narra a representação acerca de registro da comunicação pelo aplicativo eletrônico, também não revela situação de amizade íntima, seja pelo tempo de comunicação, seja pela informação apresentada de que o ministro foi vago e cauteloso”, disse.

Raquel Dodge disse ainda que “dúvidas sobre a isenção do magistrado são importantes no âmbito do devido processo legal, devem sempre receber tratamento prioritário e vir acompanhadas de provas”.

“A lei brasileira estabelece código de conduta e prevê o dever de manter isenção e de portar-se com isenção diante das partes e seus advogados, de evitar situações que possam gerar suspeitas indevidas e de afirmar suspeição e impedimento”, afirmou.

“Há magistrados que estabelecem um rito para entrevista com advogados ou outras partes processuais, divulgam sua agenda, de forma a fomentar credibilidade no sistema de justiça. Outros são mais informais no modo de atuar e de se relacionar com as partes, nos autos ou fora deles”, completou.

SABRINA FREIRE
11.mar.2019 (segunda-feira) – 20h32

Fonte: Poder 360

Anúncios

PolicialBR Canal Oficial - Não Governamental Ver tudo

Comunidade dos policiais e bombeiros do Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: